FAQ´s
tem@teandm.pt

APS - Atmospheric Plasma Spraying

Revestimentos espessos

Projecção Térmica

O processo assenta basicamente na introdução da matéria-prima na forma de partículas no seio de um jacto plasma, de forma a acelerá-las e fundi-las.
O processo é baseado na formação de um ambiente plasmogéneo, a partir da dissociação e ionização de gases por um arco eléctrico de alta potência (na ordem de 80KW), entre um cátodo e um ânodo tubular. O fluxo gasoso gerado é de elevada velocidade, na ordem dos 1.000m/s, uma vez que à saída da tocha, os gases com tendência para regressar ao seu estado energético normal (de energia mais baixa), voltam a associar-se formando uma reacção altamente exotérmica.

Materiais Cerâmicos:

Al2O3; TiO2; Al2O3/TiO2; Cr2O3; Cr2O3/TiO2; Cr2O3/SiO; ZrO2/CaO; ZrO2/MgO; ZrO/YO/CeO; ZrO2/Y2O3.

  • Forma da matéria prima: pó. 
  • Caudal típico da matéria prima: 2,5 a 3,5 Kg/h. 
  • Velocidade típica dos gases: 1000 m/s. 
  • Velocidade Típica das partículas: 200 m/s. 
  • Fonte de energia: estado plasma. 
  • Temperatura da fonte de energia: 10000 a 20000 ºC. 
  • Tensões de adesão típicas: 20 a 50 MPa. 
  • Porosidade típica: 4 a 8 %. 
  • Espessura típica dos revestimentos: 200 a 1000 µm.
Objectivos

Adaptar e melhorar as superfícies para as solicitações a que vão estar submetidas, proporcionando-lhes características de:

  • Resistência ao desgaste (por abrasão, erosão e atrito);
  • Resistência à corrosão e à oxidação;
  • Condutibilidade ou isolamento eléctrico, térmico ou magnético;
  • Ópticas;
  • Biocompatibilidade.
Benefícios para o Cliente
  • Maior longevidade dos componentes;
  • Redução de custos;
  • Redução de tempos de paragem/manutenção;
  • Aumento da produtividade global;
  • Melhor qualidade do produto final.

 

 

back to top